Guia dos Açores

Pequeno Guia dos Açores

Arte
Do período inicial de povoamento restam algumas igrejas e edifícios em que o gótico está presente. Aos Séc. XVI e XVII corresponde um período áureo, com bons exemplos de arte e arquitetura religiosa e civil do renascimento e do barroco. Os séculos seguintes deixaram, também, uma importante herança artística, Museus em Ponta Delgada (São Miguel), Angra do Heroísmo (Terceira) e Horta (Faial).

Artesanato
Cada uma das ilhas tem as suas formas de expressão da arte popular, utilizando técnicas e modelos tradicionais e seculares. Merecem destaque as coloridas cerâmicas de Lagoa (São Miguel), os bordados e rendas (São Miguel, Terceira, Pico e Faial), as colchas de tear (São Jorge e Terceira), os delicados trabalhos em miolo de figueira, escamas de peixe, palha de trigo (Faial), as obras de arte (sdrimshaws) gravadas nos dentes e ossos mandibulares de cachalote (Pico, Terceira, São Miguel e Faial).

Clima
Situado em pleno Oceano Atlântico, no centro da zona anticiclônica dos Açores, banhado por um ramo quente da corrente do Golfo, o arquipélago tem um clima temperado marítimo, sem grandes oscilações de temperatura anual.

Desportos
Os Açores e o mar são inseparáveis, mesmo nos desportos, Horta (Faial), com a sua marina, é o ponto de encontro de iatistas de todo o mundo, que têm nos portos de Ponta Delgada (São Miguel), Angra do Heroísmo (Terceira) e Santa Cruz (Flores), os vértices de um quadrilátero que abrange todo o arquipélago. A observação submarina oferece tesouros de encanto em todas as ilhas. São Miguel, Terceira e Faial dispõem de equipamento e apoio para este desporto. Vela, windsurf, remo e “surf>>, tem no litoral das ilhas a moldura ideal para a tua prática. O “big game fishing” entusiasma os pescadores desportivos com várias espécies de tubarões, espadartes, pêcos, bonitos e atuns, que tém já permitido obter “recorda>>. Barcos especialmente preparados para esta atividade operam regularmente a partir de Ponta Delgada (São Miguel). A pesca de rocha pratica-se em todas as ilhas e a de peixes de água doce só nas ilhas do São Miguel e Flores. Para os que preferem a terra firme São Miguel e Terceira oferecem o “golf>> e, juntamente com o Faial, o tênis. A caça ao coelho no Pico. Terceira, São Jorge e Flores, proporciona boas presas. Revigorantes passeios por paisagens verdejantes e floridas, apreciando serras e vales, falésias e mar, lagoas e ilhéus, são outro dos atrativos dos Açores para férias actives.

Equipamento turístico
As ilhas de São Miguel, Terceira, Faial e Pico, oferecendo uma ampla gama de alojamento, desde confortáveis hotéis e cômodas residências , completada por restaurantes, bares e boites, são os principais núcleos turísticos dos Açores e os pontos de partida para o conhecimento do arquipélago. As restantes ilhas, exceto Corvo, onde é possível obter alojamento em habitações familiares, dispõem de acolhedoras unidades hoteleiras e de restaurantes.

Fauna
Aves marinhas e diversos pássaros, entre os quais o priôlo, espécie endémica da Região, constituem os elementos mais atrativos da fauna terrestre. Mas é no mar que está a maior riqueza dos Açores com a abundância de centenas de espécies de moluscos e peixes, de grandes mamíferos como o cachalote e o golfinho.

Festas populares
A religiosidade dos açorianos expressa-se nas suas festas, que mantêm a devoção e o colorido ‘do passado’. As Festas do Espírito Santo, de raiz medieval, são comuns a todas as ilhas. As Festas do Senhor Cristo, em Ponta Delgada (São Miguel), verdadeiro festival de cor e alegria, as Festas São Joaninas, em Angra do Heroísmo ou Praia da Vitória (Terceira) com folclore e as sempre animadas touradas à corda e esperas de gado, as Festas do Mar, na Horta (Faial), animadas e desportivas, são pontos altos de um calendário de acontecimento, de raiz genuinamente popular, que dura de Janeiro a Dezembro.

Flora
Maciços de laurissilva, relíquias da floresta higrófita temperada que cobria o arquipélago antes do povoamento, podem ser encontradas em muitas ilhas. Entre as muitas espécies exóticas introduzidas merecem referência a criptoméria japónica, a araucária, as hortênsias e as azáleas. É grande a profusão de flores silvestres e de espécies botânicas de pequeno porte, muitas das quais provenientes da flora original.

Folclore
A viola de arame e outros instrumentos de corda, a que se juntam os “teatros”, os terninhos e os tambores marcam o ritmo de danças e cantares característicos, ora vivos, ora dolentes, expressão da alegria e, também, do isolamento de um povo espalhado por nove ilhas.

Gastronomia
É variada a cozinha açoriana, as receitas de pratos de carne juntam-se as de peixe e os saborosos mariscos – lagosta, cavaco, cracas, etc.. São diversos os doces tradicionais da Região. O queijo da Ilha de São Jorge, o ananás doce e sumarento da ilha de São Miguel, o vinho aperitivo do Pico, que já chegou à mesa dos eczemas”, o vinho branco, aguardente da Graciosa, o verdelho dos Biscoitos, da Terceira; são pontos obrigatórios de um roteiro gastronômico dos Açores.

Geografia
Situado em pleno Atlântico, a cerca de duas horas de vôo de Lisboa, o Arquipélago desenvolve-se na área do paralelo que passa por Lisboa (39º 43′ 35º 55′ de latitude norte). As nove ilhas tem uma superfície total de 2333 km2 e as suas áreas variam entre 747 km2 (São Miguel) e 17 Km2 (Corvo). O Pico, vulcão que atinge os 2351 m na ilha do mesmo nome, é a maior altitude dos Açores.

História
Descobertas ou reconhecidas, como afirmam alguns autores, pelos navegadores portugueses a partir de 1427, os Açores foram povoados no Séc. V por pioneiros vindos do Continente. Os Séc. XVI e XVII fazem do arquipélago um dos eixos do tráfego entre a Europa, a América e a Índia, abrigando-se nos seus portos naus e galeões carregados de riquezas. Neste período -travam-se nas águas dos Açores importantes batalhas navais, enquanto as ilhas eram sujeitas ao ataque de corsários e piratas. Os séculos seguintes são mais tranquilos mas, em 1829, os Açores regressam ás páginas da história com o papel desempenhado nas lulas contra as forças absolutistas. Durante os Séc. XIX e XX dá-se o desenvolvimento do arquipélago com a introdução de novas culturas e a criação de Indústrias, o fomento da pecuária e pesca assistindo-se, nos últimos anos, a uma progressiva melhoria do bem-estar econômico e social da população.

Paisagem
Cada uma das nove ilhas dos Açores tem a sua individualidade paisagística. Um ponto comum as une: a presença do verde vicejante, exuberante, com todas as tonalidades da paleta, salpicado do colorido das flores. Depois são maravilhosas lagoas no fundo de crateras. As paisagens acidentadas por montes e vales ou lisas como um tabuleiro de xadrez dos campos cultivados. A presença constante do azul do mar.

Transportes
As ligações internacionais com os Açores passam pelo aeroporto de São Miguel (a partir do Continente e Madeira), Faial (Continente) e pela Terceira (Continente. Estados Unidos e Canadá). Uma companhia aérea regional faz as ligações com todas as ilhas. Barcos de menores dimensões fazem ligações entre diversas ilhas. Aluguel de automóveis sem condutor é possível nas principais ilhas. Existem serviços de camionagem e táxis.

Roupa ligeira e leve, com uma ou duas peças de lã para os dias ou as noites mais frias é suficiente para todo o ano, embora no Inverno possa ser necessário um pequeno reforço em agasalhos. Recomendável, porém, trazer um impermeável porque são frequentes as chuvas, imediatamente seguidas pelo sol, sobretudo nos meses de Outubro a Abril.

Vulcanismo
São vários os testemunhos da origem vulcânica das ilhas, para além dos cones vulcânicos e crateras. Merecem referência especial a Furna do Enxofre, com um lago subterrâneo (Graciosa), as fumarolas do vale das Furnas (São Miguel), os vestígios do Vulcão dos Capelinhos (Faial), as Furnas do Enxofre contiguas á Caldeira de Guilherme Moniz (Terceira), as colunas basálticas da Rocha dos Bordões (Flores), as grutas e furnas, algumas com centenas de metros, nas ilhas de Santa Maria, Pico, São Jorge e Terceira.